Por trás das vozes – Os dubladores de “Hércules”

O ano é 1997 e o lugar é Grécia. Sim, hoje vamos falar do herói mitológico da Disney, Hércules.

Começando pelo próprio, o desajustado e forte Hércules foi originalmente dublado por Josh Keaton (diálogos) e Roger Bart (canções). Na versão brasileira tivemos Oberdan Junior, voz conhecida em diversos outros filmes Disney, e Marcus Menna, da banda LS Jack. O jovem cresceu e precisou de uma nova voz; Tate Donovan (EUA) e Ettore Zuim (Brasil) deram conta do recado.

Josh
Josh, Roger, Marcus, Tate e Ettore

Megara, ou melhor, Meg para os amigos (isso se ela tivesse algum, rs), foi dublada por Susan Egan nos EUA e por Renata Lima e Kika Tristão (sim, pasme, a mesma de Jasmine e Pocahontas) no Brasil.

Susan Egan
Susan Egan

Firocletes foi dublado por nada mais nada menos que Danny DeVito, já por aqui tivemos Isaac Bardavid e Mauro Ramos.

Danny, Isaac e Mauro
Danny, Isaac e Mauro

Sem esquecer do narrador, que levou a voz de Charlton Heston e Enio Santos (1922-2002).

Charlton e Enio
Charlton e Enio

No próximo post falaremos de algumas vozes em Anastásia (sabemos que não é Disney).

– Love, Jasmine

Fan arts de Daniel Daekazu

O Daniel Kordek, mais conhecido como Daekazu, é um polonês que já fez várias ilustrações interessantes com as Princesas Disney.

Na minha opinião, a sua fan art mais conhecida é uma que mostra a Ariel de um jeito meio maligno junto com as suas irmãs, e faz parte de uma série de imagens apocalípticas da Disney.

Daekazu também é muito famoso pelos seus crossovers, já até postamos dois deles aqui. Ele costuma comparar filmes live-action e até as Princesas com suas intérpretes em “Once Upon a Time”, entre outras misturas com outros seriados e longas. Bem interessante!

O mais legal é que ele não esquece de personagens muitas vezes esquecidas, tais como Esmeralda e Giselle, as incluindo em todas as suas séries de imagens.

Crossover de Encantada com Crepúsculo

Seu mais novo trabalho trata-se das Princesas no inverno. As ilustrações as mostram numa versão infantil, feitas com cores frias e vestindo roupas quentinhas. Fofo!

 

A Meg sempre brava mandando a nuvenzinha embora, haha!

Muitas outras imagens super lindas e criativas podem ser vistas na conta do DeviantArt do artista. Eu adoro todas elas, o jeito que ele desenha, especialmente os olhos, parece que está tudo brilhando *-*

– Ariel

Disney Glamour Series – por Silvara Hale

Nós já falamos bastante sobre as mudanças na aparência das Princesas Disney oficiais (aqui, aqui e aqui). Apesar de não ter agradado a maioria, aposto que já passou pela sua cabeça como seria se as personagens que não fazem parte da linha Princesas Disney também recebessem mudanças.

A artista alemã Silvara Hale pensou nisso e fez, por ela mesma, as mudanças glamurosas nas heroínas que ficaram de fora.

disneyglamourseries

Silvara não esqueceu nem de Eilonwy (à direita), princesa de um filme flop da Disney de 1985. Além disso, a artista também deu o próprio toque às Princesas oficiais. Você pode ver todas as ilustrações individuais na sua conta no DeviantArt.

Eu, particularmente, adorei essa idéia! Queria muito mesmo ver como ficariam as heroínas Disney com todo aquele brilho que as outras receberam. E não é que ficou legal?! 😀

– Ariel

Princesas Disney: Como tudo começou

Quem curte a nossa página no Facebook já viu que publicamos, há um tempinho, uma breve curiosidade sobre a marca Princesas Disney. Baseado nisso, resolvi fazer um post mais elaborado sobre o assunto aqui no blog também.

DisneyPrincessLineup2013

As Princesas Disney são famosas no mundo encantado e na imaginação das crianças desde os anos 30, quando a primeira princesa criada por Walt Disney teve a sua animação lançada nos cinemas: “Branca de Neve e os Sete Anões”. Depois disso, muitos outros filmes de contos de fadas foram lançados, mas o que pouca gente sabe é que as Princesas só viraram uma franquia bem mais pra frente, nos anos 2000.

Tudo começou quando os escritórios Disney resolveram dividir por categorias seus produtos comercializados. Andy Mooney, um dos executivos da empresa, percebeu que a maioria do público jovem feminino se vestia de alguma princesa para ir em shows produzidos pela Disney. Então, Mooney pensou que era a hora de começar a comercializar as personagens separadamente de seus filmes e, assim, criar uma franquia. Porém, a ideia era que nenhuma Princesa poderia estar olhando uma para a outra, para que sua individualidade permanecesse intacta, apesar de estarem todas juntas e misturadas.

Com a criação da marca exclusiva, foram lançados diversos e variados produtos, tais como novas bonecas, jogos, séries, acessórios, revistas etc. Toda essa atenção às Princesas também acabou resultando, recentemente, numa repaginada no visual de cada uma – assunto que já discutimos aqui.

Atualmente, as Princesas Disney são compostas oficialmente por Branca de Neve, Cinderella, Aurora, Ariel, Bela, Jasmine, Pocahontas, Mulan, Tiana, Rapunzel e a recém coroada Merida. A escolha foi baseada na história de cada uma, sendo a maioria de “sangue real” (Branca de Neve, Aurora, Ariel, Jasmine, Pocahontas, Rapunzel e Merida) e, o restante, por terem se tornado princesa ao casarem-se com um príncipe – com excessão de Mulan.

Entretanto, nem sempre foi assim. No início, além dessas personagens, a cigana Esmeralda e a fada Sininho também faziam parte da franquia estrelando produtos e permaneceram assim até 2005. Tanto uma como a outra acabaram não se encaixando na ideia da linha e decidiram por cortá-las. Sininho, agora, faz parte de uma nova marca da empresa, intitulada Disney Fadas.

Outras famosas personagens e protagonistas tiveram também uma explicação por não integrarem o time. A Alice, por exemplo, esteve em uma vasta linha de produtos das Princesas Disney, porém sempre foi considerada apenas uma “Princesa Teste”. A desconhecida (e esquecida) Eilowny, de “O Caldeirão Mágico”, de 1985, apesar de ser uma princesa de berço, nunca estrelou nenhum produto pelo fato de seu filme não ter alcançado o sucesso devido. Jane Porter, o par romântico de Tarzan, chegou a ser anunciada como Princesa Disney no início, mas desapareceu logo em seguida. Kida provavelmente não entrou para a franquia pois, no final de seu filme “Atlantis”, ela vira uma rainha. Já a Giselle, de “Encantada”, teve sua participação anulada pois a empresa teria que pagar direitos de imagem à atriz que interpreta a personagem, Amy Adams. E por fim, Meg, do filme “Hercules”, apesar de ter sido lançada em alguns produtos, não entrou na linha final por não ser considerada uma princesa.

Quanto a princesinha Sofia, protagonista da nova série do Disney Channel, não fará parte por ter menos de 12 anos e também nunca ter estrelado um longa. Se ela fosse considerada uma Princesa Disney, seria a primeira e única princesa latina, e também a mais nova de todas.

Bom, seria legal se todas as personagens fizessem parte da franquia, assim seria mais fácil de encontrar produtos de todas elas e alcançar mais públicos. Apesar de não serem princesas em seus filmes, para muitas crianças elas são tão favoritas quanto.

Agora falando do futuro da marca…Muito provavelmente haja uma nova integrante em 2014. Se trata da princesa Anna, do filme “Frozen”, previsto para estrear no final desse ano. Vamos aguardar as novidades dessa franquia que, apesar de nem sempre agradar, nos encanta da mesma maneira!

– Ariel