Como seriam os dubladores originais com o visual de seus personagens

Quando assistimos desenhos, sempre imaginamos como deve ser o rosto do dublador, não é?! E normalmente imaginamos que tanto “a cria” como o “criador” sejam parecidos. Claro que nem sempre isso acontece realmente (afinal não é uma regra), e de uns tempos pra cá,  os estúdios de animações têm apostado em artistas já consagrados para darem voz aos personagens. Então, como seriam se esses rostos já famosos tivessem o visual de seus personagens? Vem ver:

kellymacdonaldmerida
Kelly MacDonald como Merida
mandymoorerapunzel
Mandy Moore como Rapunzel
Idina Menzel como Elsa
Idina Menzel como Elsa
Kristen Bell como Anna
Kristen Bell como Anna

A atriz Kristen Bell é a Anna naturalmente, né?! E a cantora Mandy Moore, além de ter feito um ótimo trabalho no filme “Enrolados”, também ficou linda como Rapunzel!

Fonte: Crystal Ro | BuzzFeed

Anúncios

Por trás das vozes – Os dubladores de “Hércules”

O ano é 1997 e o lugar é Grécia. Sim, hoje vamos falar do herói mitológico da Disney, Hércules.

Começando pelo próprio, o desajustado e forte Hércules foi originalmente dublado por Josh Keaton (diálogos) e Roger Bart (canções). Na versão brasileira tivemos Oberdan Junior, voz conhecida em diversos outros filmes Disney, e Marcus Menna, da banda LS Jack. O jovem cresceu e precisou de uma nova voz; Tate Donovan (EUA) e Ettore Zuim (Brasil) deram conta do recado.

Josh
Josh, Roger, Marcus, Tate e Ettore

Megara, ou melhor, Meg para os amigos (isso se ela tivesse algum, rs), foi dublada por Susan Egan nos EUA e por Renata Lima e Kika Tristão (sim, pasme, a mesma de Jasmine e Pocahontas) no Brasil.

Susan Egan
Susan Egan

Firocletes foi dublado por nada mais nada menos que Danny DeVito, já por aqui tivemos Isaac Bardavid e Mauro Ramos.

Danny, Isaac e Mauro
Danny, Isaac e Mauro

Sem esquecer do narrador, que levou a voz de Charlton Heston e Enio Santos (1922-2002).

Charlton e Enio
Charlton e Enio

No próximo post falaremos de algumas vozes em Anastásia (sabemos que não é Disney).

– Love, Jasmine

Por trás das vozes – Os dubladores de “O Corcunda de Notre Dame”

Mais uma vez tivemos um grande atraso no nosso especial sobre dublagens, mas é por uma boa causa, prometo! Estou com pouco tempo para me dedicar ao blog, por isso peço a paciência de todos. O especial continua normalmente, mas não garanto que ele aconteça todo fim de semana, como era de se esperar. Espero que compreendam!

Bom, hoje é dia de falar do Corcunda mais fofo das animações.

“O Corcunda de Notre Dame”, inspirado no livro de Victor Hugo, é o trigésimo-quarto filme dos estúdios Disney.

Lançado em 1996, ele tem Tom Hulce e Marcelo Coutinho como o corcunda Quasímodo nas versões em inglês e português, respectivamente. Aliás, o brasileiro também foi a voz do namorado de Pocahontas, John Smith (já vimos aqui).

Tom Hulce
Tom Hulce

Para a cigana mais bela de todos os tempos escolheram a atriz Demi Moore para os diálogos e Heidi Mollenhauer nas canções – escolha mais que apropriada. Na nossa versão tivemos as vozes de Monica Rossi e Rosanah Fienngo.

Curiosidade: Monica costuma dublar Demi Moore em todos os seus personagens, esse foi o motivo da escolha da dubladora para ser a voz de Esmeralda.

dubladoras-esmeralda
Demi, Monica e Rosanah

Já o não tão amável Claude Frollo teve uma voz apenas para a versão orginal, Tony Jay. No Brasil buscaram o trabalho de Leonardo José nos diálogos e Rodrigo Esteves nas canções.

Tony e Leonardo
Tony e Leonardo

Laverne, uma das gárgulas, ficou por conta de Mary Wickes (1910- 1995) e Nelly Amaral.

BÔNUS: Mary, infelizmente, faleceu antes do filme estrear nos cinemas do mundo. A atriz não pôde apreciar seu último trabalho nas telonas.

Mary
Mary Wickes

Por fim, o capitão Febo. O mocinho teve as vozes do premiado ator Kevin Kline e do brasileiro Dário de Castro.

dubladores-phoebus
Kevin e Dário

No nosso próximo post dedicado à dublagens daremos uma voltinha pela Grécia para falar de Hércules. Aguardem!

– Love, Jasmine

Por trás das vozes – Os dubladores de “Pocahontas”

A animação de hoje foi lançada em 1995 e conta a uma história baseada em uma personagem real. Sim, falaremos das vozes que marcaram o filme “Pocahontas”.

Começando pela protagonista, a índia teve as vozes de Irene Bedard nos diálogos, além também de servir como inspiração para a aparência da personagem (veja aqui). Judy Kuhn ficou responsável pelas canções e, no Brasil, Andrea Murucci para os diálogos e Kika Tristão para as canções – a mesma voz de Jasmine de “Aladdin”, diga-se de passagem.

Irene, Judy e Andrea
Irene, Judy e Andrea

John Smith teve sorte e na versão dos EUA ganhou a voz de ninguém menos que Mel Gibson. Já aqui no Brasil ficou por conta de Marcelo Coutinho, voz também do Corcunda mais famoso de Paris (post sobre o assunto em breve!).

Mel Gibson e Marcelo Coutinho
Mel Gibson e Marcelo Coutinho

Vovó Willow, a árvore falante, ficou por conta de Linda Hunt e Selma Lopes.

Curiosidade: Selma Lopes foi casada com o trapalhão Zacarias, além de já ter feito inúmeras participações em programas de humor.

Linda e Selma
Linda e Selma

O governador Ratcliffe ganhou a voz de David Ogden Stiers nos EUA, também dublador de seu assistente Wiggins. Para os brasileiros, tivemos as vozes de Pietro Mario (também Maurice, de “A Bela e a Fera”, e Rafiki de “O Rei Leão”) e Maurício Luz. Já Thomas, amigo de John Smith, ganhou as vozes do ator premiado Christian Bale (sim, o Batman) e, no Brasil, Oberdan Junior (também Peter Pan).

dubladores-pocahontas
David, Christian e Oberdan

Amanhã falaremos sobre “O Corcunda de Notre Dame”.

– Love, Jasmine

Por trás das vozes – Os dubladores de “O Rei Leão”

Sucesso nos cinemas em 1994. Por anos foi a maior bilheteria em animação já registrada. Estamos falando de “O Rei Leão”.

Vamos começar pelas vozes do protagonista, o Simba. Na sua versão infantil ele ficou famoso nas vozes do ator Jonathan Taylor Thomas, na época com 13 anos, e nas canções por Jason Weaver, com 15. Já no Brasil tivemos Patrick de Oliveira, dublador de mesma idade de Jonathan – e também responsável pela voz do Linguado, amigo da Ariel (veja aqui). As cenas musicais ficaram por conta de Bruno Miguel.

Jonathan, Jason, Patrick e Bruno
Jonathan, Jason, Patrick e Bruno

O leãozinho cresceu e mais atores foram chamados para as vozes. São eles: Matthew Broderick e Joseph Williams na versão original e, mais uma vez, Garcia Junior para a versão brasileira (Eric, de “A Pequena Sereia”, e Fera e Gaston, de “A Bela e a Fera”).

Matthew e Jonathan
Matthew e Joseph

Curiosidade: 3 anos depois da estreia do filme, Matthew Broderick casou-se com Sarah Jessica Parker, com quem vive junto até hoje. Pelo visto a atriz não resistiu ao charme felino, rs.

A amiga e futura princesinha Nala, em sua versão jovem, teve as vozes de Niketa Calame e Laura Williams, enquanto para nós as escolhidas foram Érika Menezes e Paula Tribuzi. Assim como Simba, a leoa também cresceu e ganhou as vozes de Moira Kelly e Sally Dworsky, e na versão brasileira tivemos Carla Pompílio e Roberta Madruga.

dubladoras-nala
Niketa, Paula, Moira, Sally e Carla

Scar, o tio vilão cômico de Simba teve as vozes de Jeremy Irons e Jorge Ramos – também responsável pela voz de Jafar, vilão de “Aladdin” (veja aqui).

Curiosidade: Não se sabe porque, mas a segunda estrofe da canção “Se Preparem” não foi gravada por Irons. Essa parte ficou por conta de Jim Cumming.

Jeremy, Jorge e Jim
Jeremy, Jorge e Jim

O Rei Mufasa, que não tem cenas musicais, teve apenas as vozes de James Earl Jones e Paulo Flores (1944-2003).

James e Paulo
James e Paulo

Não podemos também deixar de mostrar a carinha de personagens marcantes como: Pumba (Ernie Sabella e Mauro Ramos), Timão (Nathan Lane e Pedro Lopes) e Zazu (Rowan Atkinson e Pádua Moreira).

dubladores-reileao
Ernie, Mauro, Nathan, Rowan e Pádua

PS: Para os que não o conhecem pelo nome, Rowab Atkinson é o próprio Mr. Bean (também fiquei chocada! haha).

Na semana que vem o nosso especial sobre dublagens abordará o filme “Pocahontas”, lançado paralelamente com “O Rei Leão”.

– Love, Jasmine

Por trás das vozes – Os dubladores de “Aladdin”

Hoje vamos falar um pouco sobre a dublagem da minha animação preferida, “Aladdin”! E pra começar vamos falar dele, o mendigo mais fofo do mundo e que dá nome ao filme.

Scott, Brad e Marcus
Scott, Brad e Marcus

Sua dublagem original ficou por conta de Sott Weinger nos diálogos, e a voz cantada ficou por conta de Brad Kane. Esse, na verdade, começou dublando os diálogos também, enquanto não definiam a voz oficial. Para nós, brasileiros, as vozes ficaram por conta de Marcus Jardym e Joseph Carrasco Jr.

Curiosidade: Para conseguir o papel, Weinger mandou uma fita demo para a produção onde sua mãe fazia a voz do gênio para ajudar.

Linda, Lea, Silvia e Kika
Linda, Lea, Silvia e Kika

Já para minha voz a Princesa Jasmine, escolheram as vozes de Linda Larkin para os diálogos e Lea Salonga para as canções. Lea é uma Filipina talentosíssima, fez alguns musicais na Broadway e com certeza marcou sua carreira por interpretar Eponine em “Les Mis”, além, claro, das canções das princesas Jasmine e Mulan. Já na versão brasileira a escolha foi por Silvia Goiabeira e Kika Tristão.

Lea e Brad gravando a canção “A Whole New World”.

O vilão Jafar ficou por conta de Jonathan Freeman e Jorge Ramos, e o Gênio por Robin Williams e Márcio Simões.

Robin e Marcio
Robin e Marcio

No próximo post do nosso especial sobre dublagens falaremos sobre “O Rei Leão”.

– Love, Jasmine

Informações sobre “Frozen”, a nova animação da Disney

Nada como fazer um post sobre “Frozen” no mês mais gelado para o Brasil 🙂 Há!

A estréia se aproxima, a cada dia que passa mais informações vazam e, como nunca fizemos um post especial para o assunto, acho que chegou a hora!

Começando pelo enredo…

O reino de Arendelle é aprisionado num inverno eterno e cabe a Princesa Anna ir em busca da sua irmã mais velha desaparecida, a Rainha da Neve, Elsa. Junto com Kristoff, um ousado homem da montanha, eles saem numa jornada para salvar seu povo da destruição. No meio do caminho, a dupla também conta com a ajuda de criaturas místicas, tal como um atrapalhado boneco de neve chamado Olaf.

A história é uma adaptação do conto de Hans Christian Andersen, “A Rainha da Neve”. Não é a primeira vez que uma obra do escritor dinamarquês serve de inspiração para a Disney – ele também é o criador do original de “A Pequena Sereia”.

Na sua versão, um gnomo maligno enfeitiça o jovem Kay e ele passa a só enxergar o lado feio e ruim das coisas. Isso o faz ter uma briga com a sua melhor amiga Gerda, além de passar a venerar a Rainha da Neve, que quase o leva a sua morte. No final, é Gerda quem o resgata da maldição e, com isso, aprende que são os amigos verdadeiros quem devemos ter sempre por perto.

Achei que só o nome serviu de inspiração, porque o resto é bem diferente do filme da Disney, né?! Aliás, os estúdios estavam planejando essa animação desde 2002, mas só em 2010 que resolveram por o plano em prática.

Por enquanto, o título provisório no Brasil é “Frozen: Uma Aventura Congelante”. Poderiam ter simplificado e apenas traduzido de “Frozen” para “Congelados”, mas tudo bem. Se não bastasse esse nome duvidoso, para o nosso azar, o longa só estréia em terras tupiniquins no dia 10 de janeiro de 2014, enquanto nos Estados Unidos o lançamento acontece em 27 de novembro desse ano.

“Frozen” já conta com um site oficial, onde podem ser encontradas algumas poucas imagens de cenas do filme, além do trailer que já postamos aqui. Recentemente, o site da DisneyStore do Reino Unido publicou uma gravura na qual mostra a Princesa Anna mais detalhada e menos parecida com a Rapunzel – ponto, este, que incomodou muitos fãs. Podemos até perceber que teremos mais uma ruiva (com algumas mechas loiras) no time das Princesas:

Os responsáveis pelas vozes dos personagens são Kristen Bell como Anna (até que são parecidas, né?!), Idina Menzel como Elsa (ela também é a Nancy de “Encantada”), Jonathan Groff como Kristoff e Josh Gad como Olaf.

dubladores-frozen
Kristen, Idina, Jonathan e Josh

Já pode fazer contagem regressiva??? Já pode ir a caça da nossa Anna Caiçara??? Hehehe…

– Ariel

Por trás das vozes – Os dubladores de “A Bela e a Fera”

“A Bela e a Fera” está no top 3 da maioria dos fãs Disney no Brasil e é sobre esse “queridinho” brasileiro que o nosso especial sobre dublagem vai abordar hoje.

A começar por Robby Benson, que fez a voz do Príncipe Adam, mais conhecido como a Fera. Benson teve uma trajetória como artista que inclui alguns espetáculos da Broadway, experiência essa que fez o ator ter o papel no clássico Disney, depois de tantos testes e tanta competição. No Brasil, a voz do príncipe ficou por conta de Garcia Junior que também dublou o vilão Gaston (além do Príncipe Eric, de “A Pequena Sereia” – já vimos aqui). Ao contrário do Brasil, em que mocinho e vilão tem a voz do mesmo dono, nos Estados Unidos quem dublou Gaston foi Richard White.

Robby Benson
Robby Benson

Quanto a princesa Bela, quem emprestou a voz foram as atrizes e cantoras Paige O’Hara e Ju Cassou. Paige, na época com 21 anos, descobriu que tinha ganho o papel três dias depois de ser pedida em casamento. Semana de emoções para ela e sorte a nossa que podemos aproveitar toda a alegria e sentimentos que estavam mais aflorados pela atriz.

Paige e Ju
Paige e Ju

Murice, pai da Bela, foi dublado por Rex Everhart (1920-2000) e Pietro Mario. A incrível Madame Samovar (Mrs. Potts) teve a voz de Angela Lansbury e Miriam Peracchi. O simpático candelabro Lumiere, pelo ator de musical Jerry Orbach e pelo brasileiro Ivon Cury (1928-1995). Já a sua namoradinha, o espanador, teve as vozes de Kimmy Robertson e Maria da Penha. O fofinho Zip, por Bradley Pierce (“Jumanji”) e, curiosamente, no Brasil por uma moça chamada Priscila Ribeiro.

dubladores-abelaeafera
Rex, Pietro, Angela, Miriam, Jerry, Kimmy e Bradley

Curiosidade: Quem dublou Orloge (o Relógio) foi David Ogden Stiers, que também é a voz do narrador do prólogo do filme.

BÔNUS: Não sabemos qual a procedência da fonte, porém em vários sites sobre a Disney falam sobre esse suposto depoimento de Robby Benson (a Fera):

“Esta foi a oportunidade mais emocionante da minha carreira. Sempre fui um grande fã da animação Disney e só de saber que meus filhos crescerão assistindo a esse filme o torna um projeto muito mais especial que todos os outros dos quais já participei. Também fiquei muito satisfeito em ter sido escalado para o papel, porque não é o tipo de personagem que normalmente costumo interpretar. Desde o momento em que cheguei para os testes e li os diálogos, soube instintivamente como interpretar o personagem. Ele me deu a chance de usar uma parte da minha personalidade que não costumo explorar e de aproveitar toda a extensão da minha voz natural de baixo”.

No próximo post falaremos da dublagem do filme (lindo, o melhor, incrível, o máximo) “Aladdin” – ta, sou suspeita! Hahaha! 😉

– Love, Jasmine

Por trás das vozes – Os dubladores de “A Pequena Sereia”

“A Pequena Sereia” foi lançada em 1989 e tem grandes comentários dizendo que ela resgatou o espírito Disney, e é sobre sua dublagem que vamos falar hoje.

Jodi, Marisa e Gabriela
Jodi, Marisa e Gabriela

Jodi Benson, com seus 23 anos na época, foi considerada a voz perfeita para os diálogos e as canções da  sereia. Já no Brasil escolheram duas vozes diferentes: Marisa Leal ficou com os diálogos e as canções ficaram por conta da cantora Gabriela Ferreira. A moça ficou famosa quando criança por cantar ao lado de Roberto Carlos e Xuxa.

 

 

Porém, quase 10 anos depois, resolveram redublar as músicas por quererem uma voz mais madura para Ariel. A redublagem, então, passou ser a mando de Kiara Sasso. Até aí tudo bem, o problema é que resolveram também fazer algumas adaptações na letra de “Parte Do Meu Mundo”, para a tristeza de quem já estava acostumado com a primeira versão.

 

 

Essa troca gerou uma divisão de opiniões entre os fãs Disney. Quando a música vira tema de conversa, eu e nossa Branca de Neve cantamos versões diferentes ao mesmo tempo (eu prefiro a de 89) e fica mais ou menos assim:

 

BÔNUS: Apesar de ter sua versão a menos favorita entre fãs de “A Pequena Sereia” (a nossa própria Ariel também prefere a versão de 89), Kiara Sasso é uma renomada e talentosa atriz brasileira de musicais. Entre tantas personagens, viveu a Bela (de “A Bela e a Fera”) em 2002 no Teatro Abril. Ela também fez a voz de uma das musas do filme “Hércules”, mas isso a gente fala em outro post.

Continuando…

Christopher e Garcia
Christopher e Garcia

A voz do par romântico da sereia, o príncipe Eric, fica por conta de Christopher Daniel Barnes na versão americana e, para nós, a voz é de Garcia Junior.

Curiosidade: Garcia Junior também fez a voz de Simba, de “O Rei Leão”, na sua fase adulta. Já quando criança foi dublada por Patrick de Oliveira, que também fez a voz do peixinho Linguado, amigo de Ariel. Seus outros trabalhos também incluem as vozes de Gaston e Fera, de “A Bela e a Fera”, mas isso também é tema para um próximo post.

– Love, Jasmine

Por trás das vozes – Os dubladores de “A Bela Adormecida”

Voltamos para o final da década de 50 e hoje vamos contar um pouco sobre a dublagem da linda princesa Aurora.

Para a protagonista dorminhoca tivemos a voz de Mary Costa nos EUA. No Brasil, Maria Alice Barreto, a mesma de Branca de Neve (relembre aqui), foi a voz dos diálogos e, para as canções, a escolhida foi Norma Maria.

Mary Costa
Mary Costa

Para o príncipe conhecido em sonhos, Felipe, foi usada a voz de Bill Shirley (“Dançando no escuro” e “My Fair Lady”) nos EUA. Já aqui no Brasil, os diálogos ficaram por conta de Mauricio Sherman e aquele vozeirão das canções se trata de Osny Silva.

Bill Shirley
Bill Shirley

Já as 3 (fofíssimas) boas fadas-madrinhas foram dubladas nos Estados Unidos e no Brasil por Verna Felton e Nancy Wanderlay (1927-2008), Bárbara Jo Allen e Nadia Maria (1931-2000),  Barbara Luddy e Joyce de Oliveira, como Flora, Fauna e Primaveira respectivamente.

dubladoras-fadasmadrinhas-belaadormecida
Verna, Nancy, Barbara Jo Allen e Barbara Luddy

Curiosidades: A atriz e comediante Nadia Maria, dubladora da fada Fauna na versão brasileira, fez diversas participações na escolinha do professor Raimundo parodiando outras pessoas.

O post de sábado que vem é sobre a voz mais conhecida dos mares… Não percam 😉

– Love, Jasmine